CONHECIMENTO E GRAÇA

Teologia e História

Seja bem-vindo! A Graça e a Paz do Senhor Jesus! Hoje é

sexta-feira, 12 de maio de 2017

O MÉTODO EMPREGADO NO DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO

Trabalho feito em exigência ao curso de Pós-Graduação, na matéria de Prolegômenos do Novo Testamento, ministrada pelo Mestre Esdras Bentho

Por Pr. Severino Martins de Medeiros Neto




O propósito do método empregado pelos autores do DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO foi trazer um entendimento mais exato dos ensinos da Bíblia, tendo como preocupação fundamental a interpretação do texto bíblico, contendo discussão concisa do significado e da aplicação dos termos essenciais do Novo Testamento. Essa criação emprega as formas de pensamento de civilizações já desaparecidas, ela expressa línguas antigas, assim, nela há elucidação de palavras, frases, orações e períodos de acordo com o entendimento da sociedade existente na época dos registros citados. Também, é levado em conta, pelos autores dessa obra, o emprego de palavras usadas nos Manuscritos do Mar Morto e pelos escritores, tais como Filo e Josefo. Essa composição é inteiramente dividida em artigos com títulos dispostos em ordem alfabética. Ela tem como público alvo os estudantes de grego, mas tem o propósito de atender também àquele que não tem nenhuma base anterior em línguas antigas, portanto, todas as palavras em grego e hebraico são transliteradas, traduzidas sem mudança de significado. A intenção na elaboração desse exemplar é teológica. As obras citadas pelos autores são da Alemanha, traduzidas em inglês. Também houve da parte dos autores uma preocupação em citar as obras que são relevantes para o estudo específico e especializado. Para traduzir para o português foi escolhida a edição em inglês devido aos acréscimos e aperfeiçoamentos efetuados no original alemão, atendendo assim às necessidades do leitor brasileiro. Das referências literárias citadas nesse dicionário, a mais indicada é a Teologia do Antigo Testamento de Von Rad, editada pela ASTE. Devido ao pequeno número de obras teológicas em português, os autores não as incluíram neste trabalho. Finalizando, as citações bíblicas foram tiradas da Edição Revista e Atualizada, da Sociedade Bíblica do Brasil.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

O processo de nacionalização do presbiterianismo: transformações no discurso protestante brasileiro



Acaba de ser publicado mais um artigo de minha autoria nos Anais do II Simpósio Internacional da ABHR.
A publicação original pode ser acessada clicando aqui.

Segue o texto:

Esta comunicação está baseada no projeto de pesquisa apresentado para a seleção de doutorado no Programa de Pós-graduação em História da UFRRJ. A questão que guia nossa pesquisa é saber o que estava envolvido na produção do discurso presbiteriano nacional no contexto de transição do regime político brasileiro.
Como referencial teórico, partimos das reflexões de Pierre Bourdieu. Para Roger Chartier (2002, p. 140-148) a lição principal do trabalho de Bourdieu é sempre pensar de forma relacional tanto em nível de sociabilidade e de coexistência entre indivíduos quanto em níveis mais abstratos, mais estruturais de organização social.

quarta-feira, 25 de março de 2015

LIÇÃO 13 – A IGREJA E A LEI DE DEUS (Mt 5.17-20; Rm 7.7-12)


I. A FUNÇÃO DA LEI
“Segundo Lutero, a lei tem duas funções primárias. A primeira é coercitiva, restringe o perverso e mantém a ordem na sociedade, essa é a lei civil. A outra função da lei é teológica. A lei é santa e perfeita, foi dada para a vida, mas a distância entre sua santidade e a incapacidade humana de cumpri-la faz da lei uma palavra de julgamento. O que era para a vida transformou-se em morte. A função teológica exige do homem algo que lhe é impossível: cumprir a lei totalmente”. (SOARES, p. 142-143).

quarta-feira, 18 de março de 2015

LIÇÃO 12 – NÃO COBIÇARÁS – (Ex 20.17; I Rs 21.1-5, 9-10, 15-16)


“10. O Décimo Mandamento: Não Cobiçar (20.17)
Este último mandamento está por baixo dos quatro precedentes, visto que atinge o propósito do coração. Matar, adulterar, roubar e mentir são resultados de desejos errados que inflamam nosso ser. E singular que a lei hebraica inclua este desafio ao nosso pensamento e intenção. “Os antigos moralistas não reconheciam esta condição” e não condenavam os desejos maus. Mas é no coração onde se inicia toda a rebelião, e este mandamento revela o aspecto interior de todos os mandamentos de Deus.

sexta-feira, 6 de março de 2015

LIÇÃO 10 – NÃO FURTARÁS (Ex 20.15; 22.1-9; Ef 4.28)

 “Por todo este capítulo encontramos o princípio da restituição – a fim de consertar o erro. Como exemplo, se um homem roubasse um animal, ele teria de pagar em dobro o valor de mercado do animal. Se você tem cometido algum erro, talvez devesse ir além esperado ao reparar sua falha. Dessa forma, você: (1) ajuda a atenuar qualquer dor que porventura tenha causado; (2) ajuda o outro a perdoar com mais facilidade; e (3) pensa melhor antes de repetir o erro”. (BÍBLIA DE ESTUDO APLICAÇÃO PESSOAL, p. 114).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...